23 de março de 2016

RESENHA | Mr. Mercedes — Stephen King

Título: Mr. Mercedes (Trilogia Bill Hodges #1) 
Título Original: Mr. Mercedes
Autor: Stephen King
Editora: Suma de Letras
Páginas: 400
Lançamento: 2016
Onde Comprar: Buscapé

Sinopse: 

Uma alucinante corrida contra o tempo, em que três heróis improváveis tentam impedir um assassino de acabar com milhares de vidas

Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa.

Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado.

Mr. Mercedes narra uma guerra entre o bem e o mal, e o mergulho de Stephen King na mente obsessiva e psicótica desse assassino é tão arrepiante quanto inesquecível.

Opinião:

Hodges é um ex-detetive da polícia. Depois que se aposentou, leva uma vida entediante, pacata e sem expectativas. Sentado no sofá com a arma que era de seu pai, ele pode, a qualquer momento, meter uma bala na cabeça. Porém tudo muda quando ele recebe a carta do assassino que driblou sua astúcia anos antes, deixando seu último caso em aberto. O caso do Mr. Mercedes, que matou e deixou várias pessoas feridas usando um Mercedes roubado.

A carta tinha como objetivo principal deixar Bill Hodges mais transtornado ao ponto dele acabar se matando, mas o que o Mr. Mercedes não esperava era que a carta faria Hodges voltar a viver.
“Tenho certeza de que você fez “o melhor que pôde”, mas infelizmente (para você, não para mim) você falhou. Imagino que, se já houve um “bendito” que você quis pegar, Detetive Hodges, foi o homem que dirigiu deliberadamente para cima da multidão na fila para a Feira de Empregos no City Center no ano passado, matando oito e ferindo muitos mais. (Devo dizer que superei até minhas maiores expectativas.) Era em mim em quem você estava pensando quando lhe deram aquela placa na Cerimônia Oficial de Aposentadoria? Era em mim em quem você estava pensando quando seus colegas, os outros Cavaleiros do Distintivo e das Armas, contavam histórias sobre (isso é só um palpite) criminosos que foram pegos literalmente sem as calças ou relembravam pegadinhas feitas na delegacia?”
No final da carta o assassino deixa o nome de um site: o "Under Debbie’s Blue Umbrella", e um nome de usuário (“kermitsapo19”) para Hodges entrar em contato com ele. Ele pensa em entregar a carta a um amigo da polícia, Pete Huntley, para que ele tome as devidas providências. Mas a investigação está em seu sangue e essa carta é a oportunidade de fechar o caso que ele não concluiu e que o atormenta todos os dias.

Hodges é típico senhor que não tem habilidades com a tecnologia e é nesse momento que Jerome entra na trama. O jovem é muito inteligente e sempre que pode, corta o gramado de Hodges, mas agora sua tarefa será outra: ajudar o investigador a encontrar e capturar o assassino da fila de emprego.

A investigação começa e Hodges sai a procura da dona do Mercedes, Olívia Trelawney, que mais tarde descobre tem problemas psicológicos e nega ter deixado a chave no veículo ao visitar sua mãe. Hodges acaba se envolvendo com a irmã de Olívia, a senhorita Janelle Trelawney.

Os três, Hodges, Janelle e Jerome, iniciam a caçada, correndo contra o tempo para pegar o assassino que a qualquer momento pode voltar a atacar e matar mais pessoas, algo que Hodges não suportaria caso isso acontecesse novamente. Juntos, eles enfrentarão uma batalha repleta de estratégias e reviravoltas contra Mr. Mercedes.

Logo de início sabemos quem é o assassino e como ele leva sua vida, que não é nada normal. Ele vive com a mãe alcoólatra, possui dois trabalhos: técnico em informática e vendedor de sorvete. O passado do assassino é muito perturbador e as mortes na fila de emprego não foram e não serão as últimas causadas por ele. Não até que o ex-detetive pare de o perseguir ou o detenha.

A narrativa flui muito bem, como os demais livros do mestre King. O vilão da história é um daqueles
covardes de mal caráter que são fáceis de odiar. Hodges pelo contrário é um personagem singular, apesar de ser mais um detetive aposentado da literatura policial. Pelo final, estou cheio de expectativa pelos próximos volumes da trilogia. O livro recebe
Mr. Mercedes é o thriller policial que inaugura a trilogia Bill Hodges. Os próximos volumes  "Achados e Perdidos" e "Último Turno" tem previsão de serem lançados ainda em 2016 no Brasil. 

BookTrailer:

4 comentários:

  1. O Leitor Noturno foi amaldiçoado.
    Para entender: http://www.magoevidro.com.br/2016/03/voce-foi-amaldicoado.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tisa!
      Obrigado, se der ainda hoje eu já faço um post e amaldiçoo outros blogs!

      Excluir
  2. Ótima resenha.

    Achei o livro muito bom, saber quem é o assassino desde o começo da trama é bem interessante e dita um ritmo diferente ao livro.
    Não é o melhor dele mas está longe de ser ruim.

    naciadelivros.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado!!!
      Saber quem é o assassino desde o começo foi realmente o diferencial do livro, mesmo não sendo a zona de conforto do King que é escrever livros de Terro/suspense.

      Excluir